Slider

[Resenha] O Retrato de Dorian Gray, Oscar Wilde

quinta-feira, outubro 19, 2017

Oscar Wilde

Cada um de nós, Basil, tem em si o céu e o inferno!
O Retrato de Dorian Gray é um romance de 1890 escrito por Oscar Wilde. O livro tem o foco voltado para três personagens: Dorian Gray, Basil Hallward e Henry Wotton. Tais personagens são o retrato fiel da alta sociedade da época.

Dorian particularmente é dotado de uma beleza extraordinária que encanta todos à sua volta. Quando Henry o apresenta à Basil, o mesmo fica completamente encantado e decide fazer um quadro de Gray para eternizar essa beleza.
Devemos absorver o colorido da vida e não guardar na memória as suas minúcias. As minúcias são sempre vulgares.
A partir do quadro de Basil e de amizade dos três o livro se desenvolve fazendo uma crítica à toda a sociedade, seus hábitos, valores e conceitos. Além do mais, Wilde não deixa explícito, mas esboça um romance gay no livro que vai de encontro ao pensamento da época.

Apesar de o livro contar com 127 anos, ele permanece super atual e com a narrativa bem realista em relação à sociedade dos dias de hoje. Outro ponto que me chamou muito a atenção é o fato de a linguagem ser bem fluida e gostosa de ler. 

Oscar Wilde

A minha edição deste livro é da Landmark e eu sou completamente apaixonada por ela. Além de ser capa dura, é bilíngue! O que achei muito bacana e me ajudou a estimular meu inglês. E eu confesso que tinha um pouco de receio de ser tudo muito arcaico, mas a tradução ficou ótima e quando se tratava de algo muito específico, havia remissões para explicar.

4 comentários:

  1. Achei bem legal a resenha do livro vou ler assim que puder.

    ResponderExcluir
  2. Ai que bacana! Vc falou duas palavras que já me deixaram com vontade de ler: romance e época... AMO EDIÇÕES BILÍNGUES! Até hoje não achei nenhuma que não fosse de tirar o chapéu!

    ResponderExcluir
  3. Nossa que legal nunca tinha ouvido falar de um livro com um edição bilíngue, e ainda com capa dura, muito legal isso!

    ResponderExcluir
  4. Confesso que fiz a idiotice de assistir o filme desse livro, porque na época eu não sabia que tinha o livro. Foi uma recomendação do professor de filosofia porque provavelmente ele não sabia que eu preferia ter lido, daí ele recomendou o filme. Só que eu achei o filme bem ruim se me permite dizer, ainda mais depois que eu descobri que o livro faz uma abordagem bem mais aprofundada do que é tratado na leitura, espero que depois de tanto tempo dessa burrada eu ainda consiga aproveitar a mensagem do livro! Babei na sua edição, também querooo! Beijos!

    ResponderExcluir

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan