Slider

[Resenha] O Guardião, Nicholas Sparks

sábado, janeiro 13, 2018


Editora Arqueiro, 2014, 320 páginas, SKOOB

“Eu ficaria arrasado se você nunca mais voltasse a ser feliz...Encontre alguém que a faça feliz...O mundo fica melhor quando você sorri”


Julie Barenson está de luto pela morte do marido. Nada mais difícil do que perder alguém que ama quando esta era a única pessoa com quem você acreditava contar. Claro que ela tinha seus amigos: Emma, Mabel, Mike Harris; no entanto nenhum deles poderia estar lá todos os dias para tentar preencher o vazio que Jim causara. Por isso, quando as esperanças de vida passaram ele escreveu uma carta dizendo a ela que teria um cãozinho dinamarquês para fazer companhia durante o momento difícil.

Singer, o cão fofíssimo que estou amando, virou a família da nossa protagonista, mas depois de quatro anos em luto Julie percebeu que poderia dar um passo a mais e encontrar um novo amor. Depois de vários jantares infrutíferos, ela conheceu Richard Franklin, um homem que conquista as mulheres pela boa aparência, conversa fácil e profissão bem sucedida.




O problema de toda essa perfeição está no fato de que Julie não sentia absolutamente nada por ele, mesmo depois de piqueniques e jantares românticos. Por isso, ela resolveu abrir o coração para alguém que estava lá o tempo todo, mas ambos tinham medo de seguir em frente no relacionamento para depois acabar em uma grande decepção, consequentemente o fim de uma longa amizade. Foi nesse momento que ela descobriu que Mike era o cara. Mal sabia ela que Richard não pensava da mesma maneira, e é dessa forma que os jogos começam.

“Ele tentara ser gentil. Tentara ser justo. Fora muito paciente com ela e seu amiguinho. Mais do que paciente. Apertou os olhos. Ela tinha alguma ideia do que o estava obrigando a fazer?”

Para quem não sabe, esse é a minha terceira leitura do Nicholas Sparks. A proposta desse livro me lembrou “Porto Seguro” e também um pouco de “A Última Música”, afinal todos os livros – inclusive O guardião – tem em comum um personagem que estão prontos para ferir todo mundo com as atitudes loucas. Então a narrativa vai apresentar uma história de amor que nasce da amizade desenvolvida ao longo tempo a medida que uma pitada de thriller vai surgir, eu posso afirmar que esse foi o ponto que me conquistou e me fez ficar presa a história.





Eu não me considero fã de carteirinha do autor por  ter lido poucos livros dele, dessa maneira não consigo fazer uma comparação com outras obras. No entanto, posso dizer que devorei as páginas porque Richard me convenceu com as revelações feitas ao longo da trama, além de termos bons amigos como Emma e Henry, Mabel e Mike ao lado de Julie, nos lembrando da diferença feita por verdadeiras amizades. Outro amigo muito leal foi Singer que encheu meu coração de carinho.

A forma como o título se encaixa perfeitamente com a situação vivida pela personagem foi uma das passagens mais lindas, e apesar de eu ir com certo medo para ler um autor que divide opiniões, vou te dizer sem medo que recomendo a leitura. Comenta aqui o que você já leu do Nicholas e se pretende ler algum dele, um beijo da Yana!





3 comentários:

  1. Nunca li nada do Nicholas Sparks. Só de pensar já me da um calafrio. Nada contra o autor, mas é que todo filme baseado em obra dele me fez chorar horrores, tenho medo de ler e ser encontrada que nem uma múmia de 3 milênios por conta da desidratação. Ainda tenho esperança de ler alguma coisa dele, mas acho que esse ainda não é o momento. Você acha que eu vou morrer de chorar lendo O Guardião? Se disser que não, já tenho um livro pelo qual começar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkk eu tambem fico com pé atras de ler Nicholas, e também não é pelo autor ou pela escrita porque li pouquíssimos livros dele. Mas, por causa da carga de drama e tals, recomendo sim O Guardião porque apesar de se tratar dd uma hisotoa de amor também há a carga de thriller - pequena, mas que existe - para mudar os ares da história. Um beijo, Ana!

      Excluir

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan