Slider

[Resenha] As Primeiras Aventuras de Arsène Lupin- O Ladrão de Casaca – Maurice Leblanc

sábado, abril 14, 2018



 Editora Zahar, 2016, 278 páginas, SKOOB | AMAZON
SINOPSE
“-Mas ouvi dizer que não existe ladrão que não deixe alguma pista para trás.
-Existe um: Arsène Lupin.
-Por quê?
-Por quê? Porque ele não pensa apenas no furto que comete, mas em toda e qualquer circunstância que possa denunciá-lo”


Irreverente, astucio e ambicioso, é assim que ouso descrever esse personagem. Devo admitir que estou com um pouco de medo de escrever uma sinopse para esse livro e acabar contando mais do que deveria, por tal motivo resolvi apresentar esse livro através da sinopse que a própria Editora Zahar escreveu:

Brilhante, audacioso, sedutor, mestre do disfarce e do jiu-jítsu, Arsène Lupin é a irônica resposta francesa a Sherlock Holmes: um ladrão refinado e anarquista, espécie de Robin Hood da Belle Époque. Nas nove histórias que compõem essas primeiras aventuras, o irresistível anti-herói atormenta seus oponentes, zomba das convenções estabelecidas, ridiculariza a burguesia e ajuda os mais fracos. E ainda enfrenta um grande detetive inglês, não por acaso chamado Sherlock Sholmes.

Esse livro nos trás, como o próprio nome nos diz, as primeiras aventuras desse irreverente anti-heroi. São 9 contos, reunidos assim pelo próprio autor, que nos mostram quem é e como age um dos maiores protagonistas da literatura francesa.



QUEM É ARSÈNE LUPIN
“-[...] Meus atos bastam para me identificar.
E esclarece, com uma ponta de orgulho:
-Tanto melhor se jamais são capazes de afirmar com toda a certeza: ‘Este é Arsène Lupin.’ O essencial é dizerem, sem medo de errar: ‘Arsène Lupin fez isso.’ ”

Arsène Lupin nasceu de uma encomenda para ser publicado em uma revista que estava prestes a entrar em circulação. A ideia inicial do autor era escrever apenas esse conto, que sairia em uma das primeiras edições da Je Sais Tour, já que escrever romances policiais não era para ele. Ao menos era nisso que ele acreditava. O tal conto, “A Detenção de Arsène Lupin”, que é o primeiro conto do livro, fez grande sucesso e provocou em Pierre Laffite, editor da revista, um imenso sentimento que quero mais. Outros contos vieram, e no fim das contas Leblanc escreveu 15 romances, 3 novelas e 38 contos com o brilhante ladrão como protagonista. Todas essas histórias foram escritas entre 1905 e 1941 (ano de seu falecimento) e reunidas em 23 livros e 4 peças de teatro. Após seu falecimento ainda foram publicados duas histórias de Arsène que eram de autoria de Maurice e ainda mais 5 livros que a família do autor autorizo que fossem escritos por terceiros.
Rodrigo Lacerda, tradutor dessa obra e diretor dessa maravilinda coleção que é a Coleção Clássicos Zahar, nos faz uma apresentação do personagem brilhante, trazida ainda nas primeiras páginas do livro, local de onde retirei essas informações.

Para mim, Arsène Lupin é não é apenas um ladrão, ele é o ladrão perfeito. Como uma irreverente e ousada resposta a Sherlock Holmes Sir Arthur Conan Doyle, que diz que não há crime perfeito.

“[...] Além desses predecessores, Sherlock Holmes, o detetive de Arthur Conan Doyle, é uma evidente inspiração em negativo para Arsène Lupin. Ambos são indivíduos superdotados no que se refere a grandes estratagemas criminosos, um do lado da justiça, desvendando-os, o outro do crime, concebendo-os.”
RODRIGO LACERDA



O QUE EU ACHEI
Que livro, cara!
Eu tinha todos os pés atrás do universo com clássicos e com romances policias. Nem preciso dizer que quebrei a cara duplamente, né? A escrita do autor te prende do início ao fim e não é difícil pra mim entender o porquê de Pierre Laffite ter ficado na cola de Leblanc pedindo que ele continuasse a escrever as aventuras do Ladrão de Casaca. Vale muito a pena ler, viu!

Já leu algum livro protagonizado por esse irreverente Hobin Hood francês? Gostou? Me conta aí, vai! Beijocas da Ana!

4 comentários:

  1. Oi Ana, tudo bem?
    Nossa, eu olhei pra ele em uma feira que fui, pensei, pensei, e no final não levei. Lendo a sua resenha agora e sabendo um pouco mais sobre o personagem, estou arrependida! haha
    Eu adoro esses estratagemas, ler o primeiro romance de Sherlock Holmes foi algo incrível e apaixonante, e eu imagino que deva ser igualmente incrível ler sobre esse personagem, que está ao lado do crime.
    Fiquei com muita vontade de ler, e já coloquei esse livro na lista viu! haha

    Beijos

    Blog Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raquel, eu vou bem e você?
      Se você tiver outra oportunidade de comprar ele, vale a pena, não só pela história mas também por essa edição maravilhosa que embeleza qualquer estante...
      Não li Sherlock, acredita? Sou doida pra ler, inclusive.
      Obrigada pela visitinha, flor! Beijocas

      Excluir
  2. Olá Ana, tudo bem com você?
    Que resenha maravilhosa você escreveu menina! Estou muito mais interessada em comprar esse livro agora, na verdade eu ainda não havia lido nenhuma resenha sobre ele, apenas ia comprar pela capa...kkk

    Beijos e abraços
    http://vickyalmeida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vivi! Eu vou bem, e você?
      Esse livro eu ganhei, mas teria comprado facilmente pela capa dele, viu?! A edição é maravilinda!
      Obrigada pelo carinho, florzinha!
      Beijocas!

      Excluir

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan