Slider

[Resenha] Assassinato no Expresso do Oriente, Agatha Christie

terça-feira, maio 08, 2018

agathachristie, poirot, hercule, expressodooriente, harpercollinsbrasil


Harper Collins Brasil, 2016, 200 páginas, SKOOB



SINOPSE

Hercule Poirot embarca às pressas no Expresso do Oriente depois de receber um telegrama na recepção do hotel em que se hospedara na Turquia requisitando sua presença na Inglaterra. Por isso, o detetive mais famoso de Agatha Christie está a caminho do país de destino quando o trem expresso, inesperadamente lotado para aquela época do ano, para devido uma forte nevasca quando estavam a caminho da Iugoslávia.  

Hospedado junto a outros passageiros, o detetive belga é obrigado a iniciar uma investigação a pedido do seu amigo Bouc que está responsável pelo trem. Afinal, um dos passageiros – que tinha muitos inimigos – é brutalmente assassinado durante a madrugada. Por isso, Poirot terá que descobrir quem entre os passageiros seria capaz de cometer um crime de tamanha crueldade, além de desvendar as várias evidências estranhas utilizando muito raciocínio lógico para discernir a verdade e a mentira saída da boca das pessoas que questiona.



O QUE EU ACHEI

Como se pode perceber, a premissa desse livro é bastante simples. No entanto, há duas coisas que fazem esse livro serem algo a mais: O Expresso do Oriente e um caso verdadeiro, aconteceu nos Estados Unidos, que é uma grande inspiração para esse romance policial.

O Expresso do Oriente foi um trem famoso por ser uma inovação em meados do século XIX, e viajou pela primeira vez em 1883. O que poderia chamar atenção nesse trem? Ele é de luxo, feito para atender as mais altas classes sociais da época (para se ter uma noção, estima-se que uma passagem equivalia a 20 mil euros o que seria 60 mil reais por pessoa nos dias de hoje), dessa forma esse trem atendia reis, celebridades e pessoas muito  ricas. Qual a importância disso para o livro? O espaço! Esse lugar era grande o suficiente para abrigar um crime bem arquitetado, por isso não imagine um trem de em que todo mundo consegue ver o que o outro está fazendo, sem querer estragar tudo, mas isso é importante para a história fazer sentido.

Outro ponto interessante, que não poderei explorar muito (porque senão eu poderia soltar spoilers) é o caso verdadeiro que aconteceu nos Estados Unidos na década de 1930, tal crime envolveu o sequestro e a morte de uma criança. Como a autora lia jornais parar criar paralelos entre a ficção e a realidade a fim de desenvolver melhor suas tramas, sabe-se que ela adicionou algumas mortes no caso para fins de enredo.
Essa mistura mostrou um livro imprevisível, e (na minha opinião impressionante). Muitos reclamam que os livros da Agatha são muito exagerados e viajam demais, no entanto (como uma boa defensora dos romances policiais e da própria autora) eu devo salientar que ler um livro policial e conseguir desvendar o crime ou achar o verdadeiro criminoso antes da narrativa acabar é algo totalmente frustrante para maioria dos leitores, então sim, eu prefiro um livro com um mega plot twist do que algo que eu mesma poderia adivinhar mesmo que para isso alguns detalhes (não tão normais) aconteçam por aí.
Antes de concluir, eu sinceramente acredito que conhecer a história do Expresso Oriente faça sentido. Os livros da Agatha foram escritos há muito tempo, e muitas coisas que super faziam sentido na época se perderam com a passagem do tempo, digo isso porque li Crimes ABC (da mesma autora) em uma leitura coletiva lançada pelo Mil Caretas da maravilhosa Milca Alves, e pudemos ver detalhes nas discussões que nos fizeram remontar lugares e hábitos comuns para a época que tem tudo haver com a escrita da autora. Fique tranquilo! Nada disso faz a leitura ficar muito distante do que conhecemos, por conseguinte é uma ótima leitura, sem contar que me fez lembrar o porquê do meu amor com a Agatha.



SOBRE O FILME

Eu não poderia jamais deixar de comentar o filme lançado (no Brasil) em novembro de 2017 que retrata a história desse livro. Por isso, o filme Assassinato no Expresso do Oriente foi muito esperado pelos fãs, e penso que a adaptação cinematográfica cumpriu muito bem a função de nos apresentar essa história.

Claro, que houve algumas mudanças nos personagens, alterações na conclusão da história e um gancho para a adaptação de Morte no Nilo (outro livro da autora Agatha Christie). No entanto, entendo que essas adaptações deram mais credibilidade para a história quando retratada nos cinemas, uma vez que há minucias que funcionam em um livro, mas não necessariamente em filmes.

Elenco do filme


Tanto o início quanto o final, trouxeram contextualizações interessantes para que a pessoa que estivesse assistindo não ficasse perdida ou achasse que estava faltando alguma coisa. E isso me agradou muito, mas eu realmente prefiro não comentar os pormenores para não estragar a experiência de vocês quando assistirem/lerem.

Sobre a atuação, eu achava que detestaria Kenneth Branagh na pele de Hercule Poirot, mas eu não poderia estar mais enganada. O ator fez um ótimo trabalho como Poirot e como diretor do filme, e conseguiu suprir a falta que David Suchet (da série televisiva Agatha Christie’s Poirot ) me faz toda vez que Poirot é representado. Como tudo não é mil maravilhas, acho que o perigo desse filme é dar ao espectador muitos passos de uma vez tornando mais fácil a descoberta da trama, o que é totalmente improvável no livro. Mas, mesmo assim, não onera em nada, a experiência de assistir e provar por si mesmo o mistério da Rainha do Crime.


Kenneth Branagh, ator e diretor do filme


Então, vocês são desses que leem primeiro para depois assistir ou assistiriam sem ler mesmo? (Eu particularmente não consigo ver o filme sem ler hahaha). Me contem o que acharam, um beijo da Yana!






8 comentários:

  1. Oi Yana, como vai? Eu comprei o volume 01 do box da Agatha Christie em uma promoção que teve na saraiva, e um dos livros que veio foi esse, fiquei muito arrependida de já ter assistido ao filme antes, porque fiquei sabendo de várias coisas que eu não queria.
    Tenho muitas ressalvas em relação ao filme, porque achei ele muito longo e cansativo, ainda mais sabendo que o livro tem apenas 200 páginas, a investigação no filme pareceu muito lenta e alguns personagens não têm tanta emoção. Mas, não será por isso que deixarei de ler o livro.
    Amei as suas fotos e principalmente, sua resenha!

    P.S: Desculpe esse comentário enorme...kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro comentários enormes hahaha inclusive no seu blog sou dessas que faço comentários meio grandinhos hahaha É uma pena mesmo, porque quando se lê o livro para assistir o filme em seguida temos uma impressão totalmente diferente hahaha Você achou o filme longo? hahaha eu achei que ele rápido demais hahahaha Obrigada, Vivi! Beijos

      Excluir
  2. Oi Yana,

    Há muito tempo atrás Agatha Christie foi uma das minhas autoras preferidas, lá na minha adolescência quando tive minha incursão na vida literária. Se não me engano li esse livro, mas não consigo me lembrar do final (o que já é um ótimo motivo para ler novamente).
    Adoro os livros dela, sempre me vi envolvida nas histórias, nas investigações e ficava desconfiando de todos, a cada página lida eu me via enganada pelas circunstâncias que tinha passado e não tinha notado. Enfim, Agatha é mestre.
    Adorei a resenha e me motivou a ler novamente esse livro.
    Alguns filmes que são adaptações de livros eu não gosto de assistir, por medo de estragarem a história (foi o que aconteceu quando assisti "Cidade dos Ossos - Instrumentos Mortais"), mas quando são super bem feitos e tem ótimas avaliações eu assisto sim, mas procuro ler antes.

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Eu também lia as histórias da Agatha desde os 13 anos, li Crimes ABC no mês passado e descobri que a minha memória adolescente me enganou, acho que confundi alguma história hahahaha Por isso, você precisa reler, redescobrir o amor pelos romances policiais maravilhosos de Tia Agatha. Concordo com você que as adaptações são muito complicadas por poderem estragar a história de um livro, mas sou muito curiosa, não conseguiria deixar de assistir! Um beijo!

    ResponderExcluir
  4. Olá...
    Acredita que nunca li nada da autora? Eu sei nem precisa me xingar, pois, tenho consciência que isso é uma vergonha das grandes!
    Ultimamente ando dando mais espaço em minha estante para livros desse gênero e com certeza vou aceitar sua dica e adquirir o mais rápido possível algo da Agatha... Sempre leio excelescentes comentários sobre essa obra e o fato de você ter mencionado que ela é imprevisível me animou ainda mais a ler!
    Vou ler o livro, assistir o filme e assim que tiver com a opinião formada volto aqui para te contar o que achei :)
    Beijinhos

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que isso, Diane hahaha eu sou a pessoa que não li um tanto de livros de autores incríveis, por isso não posso te julgar hahahahaha Sim, ela é imprevisível e algumas pessoas não gostam, mas eu adoroooo! Por favor, volte sim, quero saber o que você achou! Beijos.

      Excluir
  5. Yana! Eu nunca li nenhum livro da Agatha, e eu queria muito ler um. Comecei por decidir qual seria o bendito, e eu li tantas resenhas sobre esse, saiu filme, então com essa resenha eu estou mais animada ainda!
    Essa edição está muito linda, aliás, todas da coleção, hahha

    Beijos, Duda <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha a gente lê duzentas mil resenhas do livro, mas até ter a oportunidade de ler, já é outra coisa né? Concordo contigo, esses livros são lindos, mas um motivo para você colocar todos na sua estante e o mais importante ler tudinho hahaha espero que quando você tiver a oportunidade, seja uma leitura muito boaa!

      Excluir

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan