Slider

[ESPECIAL] Festival Internacional de Quadrinhos 2018

segunda-feira, junho 04, 2018


No último fim de semana foi realizada a 10ª edição do Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ), na Serraria Souza Pinto, em Belo Horizonte. O evento durou cinco dias e contou com a participação de vários quadrinistas nacionais e internacionais. A primeira edição do festival aconteceu em 1999 e substituiu a Bienal Internacional de Quadrinhos, que aconteceu pela ultima vez em 1997. Desde então o FIQ reúne um grande público, que busca sempre por novidades. Em 2011 o festival teve como homenageado um homem que criou personagens que acompanharam nossa infância- devo admitir, talvez nossa juventude e vida adulta também- Maurício de Sousa, e reuniu cerca de 148 mil pessoas, superando (pasmem) o público da Comic Con de San Diego 2010, que recebeu 130 mil expectadores, se tornando assim o MAIOR EVENTO DE QUADRINHOS DAS AMÉRICAS- título dado pelo blog britânico Bleeding Cool em 2012! 
O Marshmallow com Café não podia ficar de fora de um evento lindo desse praticamente dentro de casa, não é mesmo?! Pois bem, euzinha (Ana Clara) em companhia da Amanda fomos até lá conferir o que estava rolando, prestigiar o trabalho dos autores que estavam expondo seus trabalhos e trouxemos um pouquinho dessa edição do FIQ para vocês conferirem!


Andando pelos corredores do FIQ fica até difícil não parar para conferir as novidades. Tem tanta coisa bacana, gente! Eu nunca tinha ido a uma edição do evento e, se até semana passada eu não lia quadrinhos, acho que a partir dessa semana isso vai mudar, voltei de lá cheia de coisa bacana para ler! Tem quadrinho pra todos os gostos e de todos os gêneros, romance, aventura, ficção, ação, terror e suspense, coloridas ou preto e brancas, em papel cuchê ou papel jornal, era só procurar que dava pra achar algo de interessante. 

Ana Clara (direita), Amanda (centro) e Vitor (esquerda)
Conversando com a gente, Vitor Cafaggi, autor da fofíssima Valente, nos contou que foi durante uma edição do FIQ que surgiu nele a vontade de fazer quadrinhos.

 "Foi no FIQ de 2007, olhando as exposições, conhecendo os artistas, vendo trabalhos diferentes dos que a gente tem acesso em livrarias, realmente eu tive essa vontade de começar a fazer meus próprios quadrinhos."


Recentemente ele e a irmã, Lu Cafaggi, foram convidados pelo Maurício de Sousa e seu editor, Sidney Gusman, para retrabalharem Turma da Mônica pelo selo Graphic MSP.
 "Foi muito legal! Eles deram uma liberdade enorme pra gente pra fazer tudo! Pudemos desenhar com nosso próprio traço, criar as histórias, Foi tudo um máximo! O Maurício é super, super bonzinho, super gente boa, então assim, foi só amor, só alegria, com certeza!" 
Amanda e Thiago a direita e Ricardo e Ana Clara a esquerda

Conhecemos outros dois quadrinistas que dividiam uma mesa, Ricardo J. Souza e Thiago Egg, que trouxeram um trabalho muito bacana para o festival. Ao ser perguntado sobre a importância desse evento para eles, Ricardo nos disse:
"Pra mim, como quadrinista, ainda mais que esse é o meu primeiro quadrinho, a importância maior do FIQ é esse contato dos artistas com o público, com outros artistas, com editoras, então eu vim aqui trazer o meu trabalho, e aqui eu tô tendo essa chance de mostrar ele para outras pessoas, também para editoras, futuros projetos, enfim, um público legal e poder distribuir melhor esse trabalho por que as vezes é mais difícil que você tenha uma ferramenta na internet, mas isso é bem pessoal, né? A pessoa não vê sua cara, não pega o gibi e folheia, então é legal ter esse contato, conhecer o trabalho de todo mundo, ver o que eles tão fazendo, conversar, assim, as vezes a gente gosta muito de outro artista e vai ver não sabe quem é, nunca viu a cara dele. É bom conhecer outras pessoas da área, trocar experiências e conhecer outras pessoas que a gente admira na internet também."

Ana Clara, Amanda e Guilherme
Meu momento tiete mesmo foi quando encontramos a mesa do Guilherme Bandeira, autor de Razão vs. Emoção. Você já deve ter se deparado com uma tirinha dele, aquelas em que o coração e o cérebro sempre se envolvem em alguma situação em que as "idéias deles" se divergem. Ao ser perguntado sobre o que o motiva a continuar produzindo quadrinhos mesmo depois de 20 anos de carreira, ele nos disse:
"Olha, eu uso a arte para me expressar, e quando eu encontro pessoas que se afeiçoam com o que eu falo é mais legal, então isso sempre tá me motivando porque eu vejo que tem outras pessoas pensando como eu."

Ele também nos contou que sempre está presente nesse tipo de feira, então o perguntamos se ele reparou alguma mudança no público que frequenta esses eventos, e ele nos respondeu da seguinte forma:
"Hoje em dia as redes sociais tem ajudado bastante nessa coisa de divulgação, então você constrói seu próprio público e quando você vai na feira, tem um retorno muito maior."

Da direita para a esquerda: Luiz Rosa, Ana Clara, Matheus HQD e Amanda
Por último mas nem por isso menos especial, passamos na mesa do Luiz Rosa e do Matheus HQD, estreantes no evento.

"É extremamente gratificante! Eu não tenho palavras pra descrever o quanto eu tô feliz de estar aqui! Posso dizer que passei mal no primeiro dia de nervoso por vir aqui, então eu acho que isso demonstra o quanto essa sensação é profunda. Eu conheci o evento em 2013, enquanto fazia um curso de quadrinhos e meu professor trouxe a gente aqui para uma aula diferente, pra poder conversar com os artistas. Em 2015 eu vim como público, vim em todos os dias! Na época eu estava trabalhando, peguei folga no serviço, não deixei de vir em nenhum dia. Conheci muita que eu admiro e fiz muitos amigos. Desde o último evento eu já queria estar aqui, já queria muito fazer algo para estar aqui. [...]
Poder ser parabenizado por pessoas que você admira, poder estar no mesmo local que eles estão, dividir experiências com eles, falar sobre essa coisa que a gente tanto ama, que é fazer quadrinhos, poder estar naquele lugar que eu sempre quis estar, é a realização de um sonho mesmo. Estou extremamente feliz, consegui fazer meu próprio quadrinho do zero, trazer pra cá e poder estar presente aqui para vender ele e encontrar pessoas que leram e falam: 'cara, eu  gostei!', é muito gratificante!"
Matheus HQD

"Eu sempre quis trabalhar com histórias. Inclusive, eu queria fazer faculdade de história, pra entender o processo de formação da sociedade, e a partir daí criar algumas tramas. Eu escrevia, postava fanfics e fics originais também, mas eu sempre tive uma relação muito forte com a imagem, eu sempre desenhei, pintei, fazia e acontecia. E aí, quando eu descobri o quadrinho, que se pode unir as duas coisas (texto e imagem), eu pensei na hora: 'pronto, é o que eu quero, é disso aqui que eu gosto!' e desde então eu venho produzindo. Fiz alguns contos, que publiquei online, fiz agora essa história maior e participei de um coletivo de contos também! Eu me reaproximei de quadrinhos tem 3 anos. Matheus, que tá dividindo a mesa comigo, me trouxe no FIQ de 2015. Na época eu tinha começado a ler The Walking Dead, que é uma literatura mais adulta e queria explorar mais esse universo, então ele comentou comigo: 'cara, no FIQ você encontra de tudo'. A gente veio, conheci alguns trabalhos, comecei a acompanhar algumas coisas, a pesquisar mais por fora, e desde então venho entrando nesse meio."
Luiz Rosa

Vocês foram a alguma edição do FIQ?
Já tinham ouvido falar do festival?
Espero que tenham gostado desse pedacinho de FIQ que trouxemos para vocês!
Tenham uma ótima semana!
Beijocas

10 comentários:

  1. agradeço por terem passado no evento e pegado nossos quadrinhos (meu e do luiz), aproveitem a leitura! Obrigado de novo pela entrevista e espero que o evento realmente levem vocês a ler mais quadrinhos, a nona arte é uma coisa linda demais!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Foi ótimo o evento ! Apesar de eu ser novo nessa parada de quadrinhos foi ótimo ver a glr comprando minha hq e dando feedbacks positivos. Melhor ainda foi ganhar espaço como esse aqui no blog de vcs ! Dps me digam oq acharam da hq, hein?
    abraço !

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Esse evento parece que foi incrível! Eu não tenho o costume de ler quadrinhos ou HQs mas, concerteza se tivesse um evento desse na cidade onde eu moro, ou pelo menos aqui perto eu participaria com todo prazer.

    Beijos e Abraços Vivi
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daqui a 2 anos tem outra edição, Vivi. Quem sabe você não consegue se organizar para vir?!
      Seria um prazer recebê-la na terrinha do pão de queijo!
      Beijocas!

      Excluir
  4. Poxa que legal esse evento se eu tivesse uma oportunidade dessas no meu estado não perderia jamais mesmo que eu não tenha costume de ler quadrinhos =D.

    BJO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karol!
      O evento foi maravilhoso! Eu amei! Espero não perder nenhuma edição daqui pra frente!
      Beijocas!

      Excluir
  5. Ahhhh gente que evento mais incrível! Morreria de vontade de passear por ai! <3 Adoro quadrinhos, especialmente esses independentes! Eu comecei a ler um pouco mais esses últimos anos, mas já tive minhas épocas turma da mônica, e minha época viciada em mangás hahaha. Adorei suas aquisições, tomara que na próxima eu consiga ir também!

    Beijos

    Blog Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi maravilhoso, Raquel!
      Se tem um bom lugar pra conhecer muitos bons trabalhos independentes, esse lugar é o FIQ BH! Que festival!
      Tomara que você consiga vir em 2020!
      Beijocas!

      Excluir

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan