Slider

Malikah e Romance de Época Nacional mais maravilindo de todos

terça-feira, setembro 25, 2018


“Então, por que não lhe dá uma nova chance, ma chère amie?Como se a própria Malikah nunca tivesse se questionado sobre isso. Mas era tão difícil perdoar Henrique... Confiara nele desde os primeiros encontros, ainda pequenos e ingênuos, para, no fim, ele massacrar as esperanças se solidificaram dentro dela, as mesmas que o elegeram dono de seu coração e digno de sua confiança.”


SINOPSE

Malikah conheceu muito cedo toda a crueldade de que o ser humano é capaz. Escravizada e trazida ainda criança da África ao Brasil, sofreu as mais diversas formas de violência, especialmente depois de ter engravidado de Henrique, o filho do dono da fazenda onde trabalhava. Mesmo sendo resultado de uma relação de amor, estar grávida de um de seus senhores era uma afronta aos homens da casa-grande, por isso Malikah foi duramente castigada e quase morta.
Malikah e seu bebê, Hasan, só conseguiram escapar com a ajuda de Cécile e Fernão, que lhes deram abrigo na Quinta Dona Regina, um lugar novo onde todos, brancos e negros, poderiam viver em liberdade. Porém, mesmo com a relutância de Malikah, Henrique continua por perto, arrependido por não ter protegido sua amada e tentando se aproximar de Hasan.
Mas como um homem que foi ensinado a cometer tantas atrocidades poderá dar a uma criança o amor incondicional? Apesar de Malikah ainda sentir algo por ele, é possível perdoar alguém que representa para ela tantos anos de injustiça e sofrimento?

O  QUE EU ACHEI

O primeiro livro da série O Amor Nos Tempos do Ouro ainda não foi lido por mim. Já que esse me chamou mais atenção e as histórias não estão necessariamente correlacionadas – não houve referências do livro anterior nesse – eu resolvi ler esse primeiro. Afinal, nunca tinha lido um livro de uma autora nacional, mineira, escrevendo sobre uma personagem negra na época da escravidão aqui no Brasil.

Fiquei curiosa porque sempre estou procurando representatividade nos livros e aqui não foi diferente. Marina me encantou com as referências à história, à língua e à cultura do povo africano reconhecendo a importância de dar voz a esse povo como parte da nossa história o que me deixou super feliz!

Bem a história começa com Malikah ainda criança tendo contato pela primeira vez com as violências da escravidão, sendo que o livro não descreve com detalhes as agressões físicas no tronco, o que me deixou mais aliviada, eu geralmente não leio livros que retratam essa época porque isso me dói do fundo do coração. Em contrapartida, “as pequenas agressões” são mostradas o tempo todo, os xingamentos, a forma rude de tratarem os escravos entre outras agressões.



                                                                                                     
Depois desse capítulo, percebemos que o livro começa se alternar entre passagens do passado, em que Malikah é criança, e outra com ela no presente vivendo com o filho Hasan na Quinta Dona Regina. No entanto, não sabemos nada, nem como ela saiu da fazenda, muito menos o que Henrique fez para que ela sentisse tanto desprezo dele, afinal eles se amavam antes, a sinopse deixa claro. Fiquei cada vez mais curiosa para saber o que aconteceu e devorei as páginas!

A história é muito linda, amei a forma como Malikah expressa seus sentimentos ao longo da narrativa, como Henrique tenta de forma paciente e compreensiva se aproximar dela e de Hasan novamente, e ainda da forma como Marina Carvalho explora os personagens secundários dando a eles opinião própria, personalidade ainda que ficasse bem claro que o mundo em que se vivia era tão cruel. O epílogo me deixou com gostinho de quero mais! Espero que ela resolva dar continuidade a série nos agraciando com mais uma história, e por todas essas características que me deixaram apaixonada pelo que li é que o encaro como o romance de época mais maravilindo de todos. Já li outras sinopses de romances nacionais, e ainda que eu vá lê-los em algum momento, eles ainda lembram muito a Europa ou a nobreza no geral. Não que eu tenha algum problema com isso, mas sinto falta de algo mais nosso, mais parecido com a nossa cultura e com o povo brasileiro.

Com certeza vou dar oportunidade para o primeiro livro, e aí? Vocês tem  romances de época nacionais para me recomendar? Espero que vocês tenham gostado, um beijo da Yana.


4 comentários:

  1. Menina, adorei essa indicação, especialmente por 2 motivos! Um, eu sou fã de romance de época; dois, eu nunca li um romance de época nacional! E, para completar, é um romance de época ocorrido aqui no Brasil, realmente sinto falta disso também, conhecer mais essa época através de uma obra de ficção, mas romântica! Resenha maravilhosa!
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu também sinto falta disso daí eu fico procurando livros nacionais para ler! Estou nessa vibe esse ano hahaha obrigada Adri

      Excluir
  2. Oi Yana!
    Esse livro é extremamente necessário.Faltam livros nacionais de romances históricos e principalmente com tamanha representatividade que a autora conseguiu colocar na história.
    Fiquei super feliz por isso.
    Sem falar que é uma história maravilhosa,com uma sensibilidade incrível.
    Um dos melhores livros da Marina,sem dúvidas!
    Beijos!

    http://livreirocultural.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Yana, tudo bem?
    Essa é a primeira resenha que eu leio desse livro e, estou apaixonada por essa história, apesar de não ser uma ávida leitora de romances esse está no topo da minha lista por dois motivos: ser romance de época nacional e ter uma protagonista negra com opinião.

    Eu li alguns romances de época nacionais esse ano e, todos tinham persongens femininas fortes mas, nenhuma era negra! Então, estou muito feliz ao encontrar um para salvar o ano, acho que as autoras brasileiras tem conseguido vencer alguns preconceitos ao escrever os seus livros:
    1 - estão colocando personagens femininas com "voz", personalidade e independentes;
    2 - estão escrevendo histórias que se passam em alguma cidade brasileira, apesar de ser uma questão pessoal vários livros de romances que li esse ano de autores nacionais, os eventos aconteciam em Paris, Nova York, etc;
    3 - e principalmente, o personagem masculino não é o foco central da história apesar, dele ser rico o livro não gira em torno desse romance;

    Obrigada pela indicação, amei a sua resenha!
    Beijos e Abraços Vivi
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan